Apesar do sinistro do veículo subentender um imprevisto, alguns deles ocorrem devido à má conduta no trânsito. A imprudência no volante pode provocar acidentes que, além de danificar o automóvel, ainda podem levar ônus físicos às pessoas.

Mas o sinistro não se relaciona apenas a acidentes e pode acontecer em diversas situações, resultando em graus diferentes de depredação do veículo, o que vai classificá-lo de forma diferente.

Leia abaixo todos os detalhes sobre o sinistro de veículo.

O que é sinistro de veículo

Dentro desse contexto, a palavra sinistro se relaciona sempre a um seguro, neste caso veicular. Normalmente, no momento da compra de um veículo há a aquisição de um seguro que protege o bem adquirido contra as principais situações que podem ocorrer com ele.

Significado de sinistro de veículo

Portanto, o sinistro de veículo inicia o acionamento do seguro, mas isso não significa que o automóvel foi necessariamente depredado ou destruído. O termo também se aplica a situações de furto e roubo. 

Classificação de sinistro

Para facilitar a liberação de valores na ocorrência de um sinistro de veículo, existe um sistema de classificação que determina as medidas que serão tomadas para cada situação. Essas medidas preveem os valores, as inspeções e até pontuação.

A pontuação varia de acordo com a categoria adequada ao dano, indicando se o veículo tem condições ou não de retornar à circulação normal. Essa pontuação é determinada pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

Pequena monta → Subentende pequenos danos que vão exigir reparos mínimos, como substituição de peças menores (faróis, retrovisor, para-choque etc). Nesta classificação, a pontuação de 0 a 20 é aplicada aos carros e a de 0 a 16, às motos. Porém ela não é registrada no documento do veículo.

Média monta → Neste caso, o veículo sofreu um dano maior que vai exigir um reparo mais substancial. Para ele voltar a circular, é necessário um Certificado de Segurança Veicular (CSV) que é obtido após uma inspeção de segurança. A pontuação neste caso é de 21 a 30 para carros e acima de 16 para motos. E ela é registrada nos documentos.

Grande monta → O sinistro neste caso é aplicado em situações que as peças estruturais do veículo sofrem danos irreversíveis, impedindo seu reingresso às vias. Para carros, considera-se uma pontuação acima de 30, mas para motos, o sinistro já se enquadra nessa classificação se houver danos irreversíveis em duas ou mais peças estruturais, seja qual pontuação for.

Além dessas classificações há também o critério que compreende a totalidade de reparos no veículo:

Sinistro de veículo com perda total ou parcial

Essa análise também é aplicada em automóveis que foram roubados, mas encontrados posteriormente. Caso não sejam recuperados, a indenização é integral.

Tipos de sinistro

Dentro do sinistro de veículo, ainda temos seus tipos, que são categorias relacionadas às situações que o evento ocorre. Veja abaixo:

Roubo ou furto → Um dos seguros mais conhecidos. Este sinistro ocorre quando um veículo é roubado de forma violenta, como um assalto a mão armada, ou quando ele é subtraído sem a presença do proprietário. É importante observar que as seguradoras só entendem essa categoria como sinistro quando o veículo não é recuperado.

Colisão → Outra situação que é bastante conhecida e ocorre com frequência. Ela pode ser entendida como uma batida do veículo em elementos externos, como uma parede, uma árvore ou objeto, mas também pode acontecer com terceiros, em outro veículo. Neste caso, a seguradora avalia a situação e faz a reparação do segurado e do terceiro (se for o caso), ressarcindo os danos materiais e pessoais.

Causas naturais → Neste caso, o sinistro é acionado em decorrência de enchentes, incêndio e explosões, quedas de árvores e galhos, ou seja, fatores externos que acabam depredando o veículo. É importante analisar a apólice para verificar quais fatores estão incluídos neste tipo de sinistro de veículo.

Observação importante: na aquisição de um seguro veicular, confira atentamente quais tipos de sinistro ele cobre, pois existem apólices específicas (que atendem apenas um tipo) e as gerais, que englobam todos. Esses dados precisam ser avaliados na contração para que, na hora da ocorrência do sinistro, ele seja coberto pelo seguro. 

Ocorreu um sinistro: o que fazer?

Independente do tipo de sinistro de veículo, a situação acaba alarmando o condutor. Portanto, a primeira coisa a se fazer na hora é manter a calma. Em seguida, tomar a primeira providência, que pode ser diferente a depender do tipo de sinistro.

Em todos os casos, você vai precisar entrar em contato com a seguradora, mas em uma situação de roubo ou furto, por exemplo, vai ser necessário iniciar o procedimento pelo registro da ocorrência na delegacia

Após o contato com a seguradora, ela vai fazer uma inspeção no veículo (exceto nos casos de roubo ou furto) e então classificar o tipo de sinistro para liberar o ressarcimento.

Medidas para reduzir o sinistro de veículo

É verdade que alguns casos de sinistro de veículo independem da ação humana, como a situação de uma queda de árvore ou assalto, porém o condutor pode tomar algumas atitudes preventivas para evitá-los.

Nos casos de colisão, por exemplo, o condutor pode evitar esse sinistro de veículo ao redobrar a atenção ao trânsito e adotar uma boa conduta ao volante. Ele também pode evitar situações externas ao se atentar aonde está estacionando o automóvel, ou seja, avaliar se a área oferece risco ao veículo.

A atenção para o sistema de alarme e as trancas dos veículos também podem evitar o furto em muitas situações. 

É claro que, mesmo com essas medidas, o sinistro de veículo pode acontecer, mas a ausência delas aumenta em muito as ocorrências e isso causa ônus para o proprietário e, também, considerando uma frota, para toda a operação, uma vez que o automóvel fica indisponível para o serviço.

O sinistro de veículo é um dos fatores que pode influenciar na economia da frota, pois como dito acima, ele pode impedir o exercício do serviço da empresa, trazendo menos ganhos financeiros. 

Porém existem outras situações que também implicam na economia da frota. Saiba quais são elas no infográfico gratuito que preparamos sobre o assunto.

CTA 6 passos para sinistro de veículo

© 2022 Frota 162 - Todos os direitos reservados.